Dicas de boas práticas

Dicas - 03/Jul/2019 - por Campus Code
Uma rotina bem estabelecida ajuda que, ao fim do dia, você tenha feito as entregas propostas da melhor forma possível. E não importa qual linguagem é a sua: seguir boas práticas é uma ótima forma de garantir um código de qualidade.
1. Escreva testes

O tempo todo. Sério! Testar é um pilar essencial para garantir estabilidade e maturidade do código. Esqueça a urgência de entregar tudo o mais rápido possível. Não existe nada pior em termos de produtividade que estourar um bug no meio da produção e metade do time ser obrigada a parar tudo o que está fazendo – incluindo atividades já programadas – para tentar encontrar a fonte do problema e, ainda assim, não testar para assegurar que será de fato corrigido.

Imagem de um editor de código rodando testes
2. Faça Code Review

Quando um ou mais devs revisam o código de alguém antes de subí-lo, há mais ganhos que apenas certificar-se da qualidade do código em si. A integração do time se fortalece e aumentam as chances de se encontrarem soluções melhores e/ou alternativas para determinados problemas.

3. Verifique a legibilidade do código

Todo código produzido, especialmente o mais crítico, deve ser legível para todas as pessoas envolvidas em sua produção e manutenção, incluindo as que só terão contato com o código mais à frente. Se preocupar em codar de acordo com o mais usual e o mais facilmente entendível por qualquer pessoa, ou seja, escolher termos conhecidos e estabelecidos para determinadas funções, usar termos em inglês (a língua oficial de código) e ter clareza e fluência, por exemplo, garantem não só a legibilidade, mas também a longevidade do código. Neste artigo , o autor cita uma palestra de Laura Savino sobre a importância de não tornar o código algo que precise ser decifrado.

4. Código simples > código complexo

Ao programar, dê preferência ao código que seja mais simples de ser lido e compreendido por outros desenvolvedores. Tempo é um recurso escasso e quanto mais rápido outras pessoas compreenderem seu trabalho, mais facilmente ele pode ser corrigido e melhorado. Além disso, códigos menos complexos devem possuir menos bugs e menos tempo será gasto resolvendo os que existem. Em muitos casos, menos é mais.

Uma pessoa limpando o computador com água dizendo que tudo
             está limpo
6. Mapeie seu trabalho

Tenha controle sobre sua produção. Mapear suas atividades permite que você tenha uma visão geral do seu trabalho, mesmo que )ncia de ouvir (bem) as críticas ao seu trabalho. o comprometimento seja com tarefas pequenas.

7. Pergunte

Não tenha vergonha de tirar dúvidas com outras pessoas e de admitir que não sabe algo, mesmo que pareça não ter contexto. Essa é uma ótima forma de se obrigar a explicar melhor seus problemas, abrindo as portas para ouvir ideias e soluções diferentes. Ah! Aproveite para abrir discussões em fóruns especializados e contribuir com toda a comunidade.

8. Mantenha-se atualizado

Não importa se você é dev que se formou na faculdade ou na vida. Continue estudando e se aprimorando, afinal as tecnologias evoluem e se tornam obsoletas cada vez mais rápido. Toda pessoa desenvolvedora que se preze assume que está num processo de melhoria contínua e, mesmo que pareça irrelevante, separar um tempo para entender como algo funciona nunca é tempo perdido. Neste fórum , você encontra 2 relatos de devs sobre aprendizado contínuo.

9. Aceite críticas de código

Inclusive, se puder, peça para outro dev ler seu código e dar uma devolutiva. Ouvir outras percepções sobre seu trabalho é uma forma de aprendizado muito rica se você não levar para o lado pessoal. De maneira geral, ouvir críticas, fazer perguntas a respeito delas e questionar são ferramentas para sua evolução profissional e pessoal. Neste artigo você pode ler mais a respeito da importância de ouvir (bem) as críticas ao seu trabalho.

Ex-presidente Obama falando 'It requires some effort.'
Colaboraram: Allan Siqueira, André Benjamim e Luis Arantes.